Santinha Carmen Sallés

Padroeiro:

História:

Maria Carmen Salles y Barangueras nasceu em Vic (Barcelona) no dia 9 de abril de 1848, filha de José Sallés e Francisca Barangueras, um casal profundamente católico.

Quando sua família se transfeu para Manresa, ela frequentou o Colégio das religiosas da Companhia de Maria, recebendo uma educação religiosa e civil, sobretudo uma espiritualidade mariana, que a fez receber com grande alegria a proclamação do dogma da Imaculada Conceição.

Aos 16 anos expressou o desejo de tornar-se religiosa, enfrentando a insatisfação dos pais que desejavam que ela se casasse.

Em 1869, ingressou no noviciado das Adoradoras. Com o conselho de seu diretor espiritual, procurou um instituto dedicado a formação da mulher, e assim, em 1871, decidiu-se pelas Dominicanas da Anunciada, fundadas pelo Padre Coll, que a recebeu no Noviciado.

Durante 22 anos se dedicou à educação em diversos lugares, e em 1889, Carmem iniciou um profundo processo de busca. Rezava, consultava e se punha à escuta da voz do Espírito Santo.

Em 1892 ela queria continuar no Instituto para continuar nele o seu método de ensino. Porém, não lhe foi permitido e se viu forçada a iniciar um caminho novo.

Acompanhada de três companheiras, Candelária Boleda, Remédios Pujals, Emília Horta, iniciou uma Congregação nova na Igreja, chamada no primeiro momento Concepcionistas de São Domingos, hoje Concepcionistas Missionárias do Ensino.

Numa busca perseverante, porém tranquila, porque confiava no Senhor mais que em si mesma, Carmem fez uma viagem a Madrid. Ali a esperava a Providência Divina. A palavra firme e serena de Dom Celestino Pazos, a ajudou a buscar a vontade de Deus. Carmem entregou seu projeto à Virgem do Bom Conselho. Depois de rezar, disse a suas companheiras: ”É vontade de Deus. Vamos a Burgos. Ali trabalharemos e lutaremos com tudo que se apresente. E Deus proverá”.

No dia 15 de outubro de 1892, festividade de Santa Teresa de Jesus, Carmem chegou a Burgos com as três companheiras. Ali encontrou um grande protetor na pessoa do Arcebispo, Dom Manuel Gómez-Salazar y Lucio Villegas, que em 7 de dezembro do mesmo ano, outorgou a aprovação Diocesana à nascente Congregação e autorizou a abertura do primeiro colégio Concepcionista.

Em 1893, Carmem Salles foi nomeada Superiora Geral, e em 1908, Carmem Sallés solicitou ao Santo Padre a aprovação do Instituto, onde no mesmo ano recebeu o Decreto outorgado por São Pio X.

Madre Carmem gastou sua vida no serviço da educação das crianças e das jovens. Em 19 anos de trabalho, empenhou todas as suas energias em fundar 13 ”Casas de Maria Imaculada”.

Uma mulher de grande caráter e de grande doçura, a Beata soube superar muitas dificuldades ao longo do itinerário de fundadora. Sua fé profunda e sua caridade ardente vão unidas a uma grande sensibilidade pela formação católica das mulheres de seu tempo.

Madre Carmen morreu em Madri, aos 63 anos, no dia 25 de julho de 1911, deixando como herança às 166 Irmãs na nova Congregação o seu desejo de expansão missionária do Instituto.

No dia 8 de dezembro de 1954, festividade da Imaculada Conceição e Ano Mariano, Pio XII aprovou definitivamente a Congregação.

João Paulo II a beatificou em Roma no dia 5 de março de 1998 e foi canonizada pelo Papa Bento XVI em 21 de outubro de 2012.

Oração:

Ó Deus, nós vos agradecemos porque nos concedestes a canonização de Madre Carmen Sallés.

Vós lhe concedestes a abundância de vossa graça, um profundo amor a Virgem Imaculada e o conhecimento de vossa predileção pela infância e juventude.

Fazei de cada um de nós um instrumento dócil às vossas inspirações, para que, também, sejamos testemunhas das maravilhas de vosso amor.

Ajudai-nos a percorrer com Maria, Mãe e Modelo, o caminho da fidelidade plena a Cristo e a sua Igreja, servindo com amor a nossos irmãos.

Amém

Mensagem:

Share Button