São Dom Bosquinho

Padroeiro:

Dos jovens.

História:

Dom Bosco nasceu no Piemonte, ao norte da Itália, em 1815. Ele pertencia a uma família de camponeses, sendo o caçula de três irmãos. Órfão de pai, ele precisou trabalhar logo cedo para poder sustentar os seus estudos. Sua mãe, Margarida Occhiena, mulher simples e de grande virtude, educou-o na religião e no trabalho. Aos nove anos, teve um sonho que ficou profundamente marcado em sua memória. Nele previu sua futura missão de educador da juventude.

Em 1841 foi ordenado sacerdote, em pleno ”Risorgimento Italiano”. Nesta época, a crise social era evidente. Turim, capital do Piemonte, atraía milhares de trabalhadores, velhos e jovens. Neste momento, o jovem sacerdote João Bosco iniciou seu trabalho pastoral.

Deus o chamava para consagrar sua vida aos jovens pobres e abandonados. Segundo Dom Bosco, era preciso formar os jovens, qualificá-los com o estudo e uma profissão, tornando-os ”bons cristãos e honestos cidadãos”, por meio da promoção humana e da educação à fé.

Ao visitar as prisões e verificar a situação em que se encontravam centenas de jovens, Dom Bosco tornava-se plenamente consciente dos males que atormentavam a sociedade de seu tempo. Suas pregações na época eram um alerta às autoridades, aos ricos e aos patrões. Sem colocar operários contra patrões, começou a realizar um trabalho concreto para a solução da crise existente, iniciando com jovens empregados em lojas e oficinas, por meio do lazer e atividades religiosas nos finais de semana.

Mais tarde criou as escolas noturnas, buscando a promoção dos jovens da época. Em 1850, fundou uma ”Sociedade de Mútuo Auxílio” que lutava contra o espírito individualista de seu tempo, sendo desta forma favorável aos movimentos associacionistas. Adquiriu, então, a Casa Pinardi para acolher jovens trabalhadores que depois foi acrescida de jovens estudantes onde passaram a descobrir vocações, embrião da congregação salesiana.

Dom Bosco não foi o precursor da profissionalização dos jovens, mas a sua contribuição se deu na adaptação de velhas escolas profissionais, por meio de seu método educativo como resposta à questão operária.

Tudo isto fundamentado numa pedagogia do trabalho, centrada na trilogia: oração, trabalho e alegria; que possibilitava uma convivência harmoniosa entre estudantes e aprendizes de diferentes classes sociais, tratados de forma igualitária. Dom Bosco despertava nos jovens a paixão pelo trabalho que era considerado por ele a salvaguarda da moralidade. Ele dizia: ”Não vos recomendo penitências e disciplinas, mas trabalho, trabalho, trabalho”. Trabalho era, para ele, o mesmo que descansar: ”Deus me concedeu a graça de que o trabalho e cansaço, ao invés de ser para mim um peso, sempre me fossem de recreio e descanso”.

Dom Bosco faleceu aos 72 anos, em 31 de janeiro de 1888. Deixou a Congregação Salesiana espalhada por vários países. Logo sua fama de taumaturgo (intercessor de milagres), de educador da juventude, de defensor da Igreja Católica e de apóstolo da Virgem Auxiliadora se espalhou pelo mundo. Com tantos atributos o Papa Pio XI, que era amigo de Dom Bosco, canonizou-o na Páscoa de 1934.

Oração:

Oh! Pai e mestre da juventude, São João Bosco, que tanto trabalhastes pela salvação das almas, sede nossa guia em buscar o bem da nossa e a salvação do próximo, ajudai-nos a vencer as paixões e o respeito humano, ensinai-nos a amar a Jesus Sacramentado, a Maria Santíssima Auxiliadora e ao Papa, e obtende-nos de Deus uma santa morte, para que possamos um dia achar-nos juntos no Céu.

Assim seja.

Amém

Mensagem:

Share Button