Nossa Senhorinha de Kibeho

Padroeiro:

 

História:

Nossa Senhora das Dores de Kibeho apareceu a três jovens, Afonsina Mumureke, Natália Mukamazimpaka e Maria Clara Mukangango entre 1981 e 1982, em Kibeho, Ruanda, centro da África. Foi a primeira aparição da Virgem Maria no continente africano.

No final de 1981, Kibeho era apenas uma pequena aldeia. Nela havia um colégio fundado por três Irmãs católicas, onde jovens ruandesas estudavam. Como não se tratava de colégio para formação de religiosas, alí não se vivia um clima particular de devoção, pois sequer possuía uma capela. Podemos entender aí o fundamento das aparições de Maria.

No almoço do dia 28 de novembro deste ano, Afonsina, de 16 anos, ouviu nitidamente uma voz que a chamava: ”Minha filha, venha até aqui”. A voz procedia do corredor, no fundo da sala de refeições. Afonsina foi até lá e viu, pela primeira vez, a Senhora.

Assustada, Afonsina, pediu à desconhecida que fosse embora. A Santíssima Virgem então disse:”Eu sou a Mãe do Verbo”. A estudante contou todo o ocorrido às religiosas e às colegas, mas ninguém acreditou. Como as aparições continuaram, Afonsina acabou passando por histérica. Sofrendo com essa situação, numa das visões ela pediu à Mãe que aparecesse ao menos às suas amigas, Natália e Maria Clara.

Assim no dia 12 de janeiro de 1982, a Virgem apareceu para Natália que tinha 17 anos. Depois para a Maria Clara, esta com 21 anos e a mais descrente. Só então as mensagens foram aceitas. Elas pediam a verdadeira conversão dos cristãos, através de muita oração, penitência e jejum.

Mas foi a descrição da última aparição, em 15 de agosto de 1982, que possibilitou verificar sua autenticidade, pois depois se confirmou como terrível realidade. Nesta, Maria apareceu para as três videntes juntas e lhes mostrou cenas impressionantes que enchiam de dor seu imaculado coração. Era um verdadeiro mar de sangue, pessoas que se matavam entre si, cadáveres abandonados sem sepultura… As imagens eram a antecipação da guerra civil deflagrada entre abril e julho de 1994, quando Ruanda viveu seu próprio genocídio.

Depois de vários anos de estudos, por parte da comissão médica e teológica, no final de junho de 2001, as aparições foram reconhecidas oficialmente pela autoridade eclesiástica local. No dia 31 de maio de 2003, estava o Prefeito da Congregação para a evangelização dos povos, enviado do Papa, formalizando a consagração do Santuário à Nossa Senhora das Dores de Kibeho, através da missa solene realizada com a presença de todos os Bispos ruandeses, quando diante de todos os fiéis se repetiu o fenômeno da dança do sol, como em Fátima, no dia 13 de outubro de 1913. Ele durou oito minutos e foi filmado e fotografado por repórteres profissionais e amadores.

Informado e depois de ver todos os documentos, o Papa João Paulo II declarou: ”Nossa Senhora das Dores de Kibeho é a Fátima do coração da África”.

Oração:

Querida Mãe, que nas aparições e mensagens de Kibeho, na África, nos alertaste sobre o mundo que se revoltou contra Deus e o perigo que corre sem o arrependimento, ajudai-nos a nos converter. Pelos méritos de tuas Sete Dores, pedi a Jesus que não nos deixe cair no abismo de consequências de nossas más ações. Interceda junto a Jesus para que Ele nos perdoe e santifique. Nossa Senhora de Kibeho, rogai por nós!

Amém

Mensagem:

Share Button