Santinha Josefina Bakhita

Padroeiro:

Dos dos pobres e dos abandonados.

História:

O nome “Bakhita” que significa em africano, “afortunada”, ou “bem-aventurada”, não lhe foi dado ao nascer mas lhe foi atribuído pelos raptores. Foi capturada e vendida por mercadores de escravos negros no mercado de El Obeid e de Cartum ao cônsul da Itália no Sudão, D. Calixto Legnani, que logo lhe deu carta de liberdade. No período de escravidão, Bakhita sofreu as humilhações, sofrimento físico, psicológico e moral dos escravos negros.

Na casa do cônsul Legnani, Bakhita trabalhava como mulher livre e isto lhe deu momentos de serenidade. Quando Legnani teve de regressar ao país, Bakhita decidiu acompanhá-lo, e chegando a Gênova é transferida para a localidade de Zianigo, ao serviço da família Michieli como “ama-seca”, e posteriormente, passou à Congregação das Filhas da Caridade de Santa Madalena de Canossa de Veneza, onde recebeu os primeiros sacramentos do catecumenato, em 9 de janeiro de 1890, foi batizada com o nome de Josefina e em 8 de dezembro de 1896 tomou o hábito e ingressou na ordem das Irmãs Canossianas, com o nome religioso de Irmã Josefina.

Josefina Bakhita se destacou pela piedade e amor a Cristo e à Eucaristia, também pelo serviço social pelos demais pobres e desamparados.

Faleceu no convento canosiano de Schio, em 1947, com a idade de 78 anos; os restos incorruptos foram sepultados sob o altar da Igreja do mesmo convento.

Oração:

Ó Santa Josefina Bakhita, que, desde menina, foste enriquecida
por Deus com tantos dons e a Ele correspondeste com todo o amor,
olha por nós.

Intercede junto ao Senhor para que cresçamos no Seu amor e no amor
a todas as criaturas humanas, sem distinção de idade, de raça,
de cor ou de situação social.

Que pratiquemos sempre, como tu, as virtudes da fé, da esperança,
da caridade, da humildade, da castidade e da obediência.

Pede, agora, ao Pai do Céu, oh Bakhita, as graças que mais preciso,
especialmente (faça o pedido).

Amém.

Mensagem:

Share Button