Santinha Paula

Padroeiro:

Da família e da juventude.

História:

Paula Ângela Maria Frassinetti nasceu dia 3 de março de 1809, em Gênova, na Itália. Quando sua mãe morreu, seu pai e seus quatro irmãos assumiram sua educação. Seu pai colocou nos filhos um forte sentido cristão e todos seguiram a vida sacerdotal. O mais velho foi o fundador da Congregação dos Filhos de Maria Imaculada.

Paula era muito inteligente e tinha uma preferência para o estudo da filosofia e da teologia. Em 1827, ela foi morar com seu irmão José, que era o padre da aldeia de Quinto, perto de Gênova. Junto com ele, Paula apressou-se em fundar uma escola paroquial, iniciando uma ação de apostolado com um pequeno grupo de fiéis seguidoras. Depois, em 1834, com elas Paula fundou uma congregação religiosa, com o nome de Filhas da Santa Fé, com o propósito de “estar plenamente disponíveis nas mãos de Deus para evangelizar por meio da educação, com preferência pelos jovens e pelos mais pobres”.

Em visita a Gênova, o sacerdote Luca de Passi, que criava na Itália comunidades apostólicas de Santa Dorotéia, convidou a congregação recém-fundada para executar os trabalhos de sua instituição. Paula aceitou e o antigo Instituto das Filhas da Santa Fé passou a ser chamado de Irmãs de Santa Dorotéia. Sucessivamente, foram abertos novos colégios pelas religiosas. Primeiro em Gênova, depois em Roma, sendo que o de Santo Onofre, instituído em 1844, em Roma, foi mais tarde escolhido para ser a Casa-mãe da instituição.

Inspirada nas regras de Santo Inácio, fundador da Companhia de Jesus, Paula elaborou os estatutos das Irmãs de Santa Dorotéia à semelhança das religiosas francesas do Sagrado Coração. Estabelecida em Roma com seu instituto, madre Paula foi recebida pela primeira vez pelo papa Gregório XVI, por quem foi abençoada, recebendo novo estímulo para sua obra.

Muito cedo a força de sua ação evangelizadora foi reconhecida e difundiu-se com a criação de novas casas por toda a Itália. Em 1866, chegou ao Brasil e logo depois a Portugal. Daí por diante se propagou por todos os continentes, com suas missionárias animadas por suas palavras, que ainda ecoam entre elas: “O Senhor as encha do seu Espírito e as converta em outras tantas chamas ardentes que, onde tocarem, acendam o fogo do amor de Deus”.

No dia 11 de junho de 1882, aos 73 anos de idade, madre Paula morreu em Roma, sendo enterrada no cemitério de São Lourenço. Em 1903, quando da exumação do seu corpo, este foi encontrado intacto. Três anos depois, foi transferido para a capela da Casa-mãe do Instituto de Santo Onofre, em Roma.

Muitas foram as graças e milagres atribuídos à intercessão de madre Paula, e sua veneração tornou-se vigorosa entre os fiéis. Em 1984, Paula Frassinetti foi declarada santa pelo papa João Paulo II, durante uma comovente cerimônia solene em Roma.

Oração:

Ó Santa Paula, que com humildade e ardente fé, te abandonaste toda à vontade de Deus, sempre segura de sua bondade e das suas promessas, faze pela tua intercessão que ternamente confiando na misericórdia do Senhor, obtenha do seu Coração a graça que desejo.

Ó Santa Paula, que durante os dias de prova, nos sofrimentos do corpo e nas angústias da alma, sempre esperaste com firme confiança na infinita misericórdia de Deus, faze pela tua intercessão que, esperando filialmente da generosidade do Senhor o socorro nas minhas misérias, obtenha do seu coração a graça que desejo.

Ó Santa Paula, que colocaste toda a tua alegria em amar o Senhor e a sua cruz, para saber socorrer com fraterno e materno coração a todas as misérias, faze pela tua intercessão que amando fervorosamente a Deus e o próximo por amor de Deus, obtenha do seu Coração a graça que tanto desejo.

Amém

Mensagem:

Share Button