Santinha Luísa de Marillac

Padroeiro:

Dos assistentes sociais.

História:

Luísa Marillac nasceu no dia 12 de agosto de 1591, na França. Ela foi adotada e registrada como filha natural de Luis 1º de Marillac, cavaleiro e Senhor de Ferriéres-em-Brie e comandante de uma companhia do rei. Em 1595 o pai colocou Luísa em uma pensão do Mosteiro Real de Saint-Louis de Poissy, das freiras dominicanas.

Com as freiras dominicanas começou seu aprendizado, e lhe dão uma sólida formação humana. Quando Luis de Marillac morre, seu tutor passa a ser Miguel de Marillac, (chanceler da França). Ele coloca Luísa em um lar para meninas em Paris. Nessa época ela começa a frequentar as freiras capuchinhas, Filhas da Cruz. Ali ela faz votos de servir a Deus e aos pobres.

Miguel de Marillac, porém, decide casá-la com o secretário dos comandantes da Rainha Mãe, Maria de Médicis. E em fevereiro de 1613, Luísa se casa com Antonio Le Gras. Luísa assim foi privada de realizar sua vocação, o que lhe causou vários sofrimentos. Mesmo assim, eles tiveram um filho, Miguel, que mais tarde ficou muito doente e ela entrou em depressão por causa disso.

Num dia de Pentecostes Luísa recebeu uma graça do Espírito Santo: seu espírito foi iluminado e suas dores e tristezas desapareceram. Ela compreendeu então que deveria ficar e cuidar de seu marido, assim também como de seu filho. Depois disso, ela teria o tempo para cumprir sua vocação de ajudar os mais necessitados. Luísa sentiu também que encontraria um novo diretor espiritual, o que aconteceu em 1625 quando ela encontra o Padre Vicente de Paulo. Este criou as Confrarias da Caridade e estabeleceu a Congregação da Missão, denominada de Lazaristas.

Após ficar viúva, Luísa de Marillac colocou seu filho Miguel em uma pensão em Saint-Nicolas, onde ele seria bem cuidado e educado.

Depois, Luísa foi trabalhar com São Vicente de Paulo, nas Damas da Caridade, ajudando diretamente aos pobres. São Vicente nomeou Luísa como inspetora das casas de caridade. Em março de 1634, com a ajuda e permissão do Padre Vicente, Luísa e mais quatro amigas fundam a Companhia das Filhas da Caridade. Em 1655 ela conseguiu a aprovação da congregação com o Papa.

Luísa e o Padre Vicente começam então a ajudar as crianças abandonadas, dão socorro às vítimas da guerra dos 30 anos, cuidam de doentes mentais, participam da criação do hospital do Santo Nome de Jesus e do Hospital Geral de Paris.

Em 1652, quando a ”peste” assolou a cidade de Paris, Santa Luísa e suas irmãs tiveram grande trabalho para ajudar os doentes, de tal forma que não pararam um só momento.

No ano de 1660 Luísa de Marillac sentia que seu fim estava se aproximando e queria ser assistida por São Vicente. Seu desejo, porém, não aconteceu pois ele com 85 anos também estava muito doente. Ele apenas conseguiu enviar a ela uma bênção, dizendo: ”Madame, ides antes de mim, espero em breve, rever-nos no céu.” São Vicente sabia que Luiza santificou-se ajudando aos pobres e necessitados, enxergando neles a pessoa de Jesus Cristo. Por isso, ela certamente iria para o céu.

Santa Luísa recebeu a comunhão e deu uma benção para as irmãs de caridade. Ela recebeu a unção dos enfermos na hora de sua morte, pediu para fechar as cortinas e, pouco tempo depois, suavemente, faleceu. A seu pedido, teve um funeral muito simples, tendo sido sepultada na igreja de Saint-Lourent.

Oração:

Pai amoroso, por intercessão de Santa Luísa de Marillac, Vos rogamos, plenificai-nos de Vosso Amor para que através das obras de caridade possamos construir um mundo melhor e fraterno.

Amém

Mensagem:

Share Button